Pesquisar em nosso conteúdo

Postagem em destaque

RESCISÃO DE CONTRATO FINALMENTE DISPONIBILIZADA NO E-SOCIAL

RESCISÃO DE CONTRATO NO E-SOCIAL A Receita Federal do Brasil (RFB) publicou ontem em seu site  a informação de que já e...

SETE PECADOS CAPITAIS NO AMBIENTE DE TRABALHO

SETE PECADOS CAPITAIS NO AMBIENTE DE TRABALHO 
Uma ouvinte escreve: "Tenho 19 anos e estou em vias de iniciar a minha vida profissional. Já ouvi falar que certos defeitos são considerados abomináveis pelas empresas, mas nunca vi uma lista deles. Essa lista existe ou cada empresa tem a sua própria relação de vícios intoleráveis?"

Bom, as duas coisas. Há certos defeitos que uma empresa eventualmente possa abominar, como, por exemplo, o uso de palavrões durante o expediente, que são tolerados por outras empresas por já fazerem parte da cultura interna.

Mas a lista básica de defeitos profissionais pode começar com sete pecados capitais. Seis deles são fatais para quem está começando uma carreira. São estes:


Soberba: é se achar melhor do que todo mundo e nunca admitir os próprios erros.

Avareza: é não compartilhar informações, nem auxiliar colegas que possam estar precisando da sua ajuda.

Ira: é reagir desproporcionalmente a críticas e não tolerar as pequenas imperfeições alheias.

Gula: é alguém achar que só ele merece todas as oportunidades. A diferença entre gula e ambição está no simples fato de que o ambicioso mostra que merece e o guloso quer receber de mão beijada.

Inveja: é desgostar de alguém que conseguiu, honestamente, o que você ainda não conseguiu.

Preguiça: é não fazer sequer o mínimo exigido no desempenho da sua função e se tornar um especialista em desculpas.

Qualquer que seja a cultura interna de uma empresa, um profissional com essas características negativas não conseguirá nem o respeito dos colegas e nem a confiança dos supervisores. 

Apenas como informação, o sétimo pecado capital, que eu não coloquei na lista, é a luxúria, que não é exatamente um defeito profissional, mas pode render um processo por assédio sexual no ambiente de trabalho.

Por: Max Gehringer, para CBN

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário, dúvida ou sugestão

Digite seu e-mail abaixo e inscreva-se


Receba nossas atualizações no seu e-mail